2015

Homi em Florença!

Olá amigos! Demorei meses pra postar, eu sei, mas é porque eu voltei pro Brasil e acabei mergulhando numa preguiça e depressão pós-Europa, então, me perdoem.
Mais pra frente entro em detalhes sobre a volta, já adianto que foi um pouco estranha e, como não poderia ser diferente, um tanto conturbada (perdi conexão, etc e tal) já que estamos falando da Itália, nao é mesmo?
MAS ENFIM…
Voltei de Amsterdã com o coração apertado de deixar o homi tão logo, mas uma semana depois ele foi para Florença.
Nesse meio tempo não fiz nada de especial, fui nas aulas e morri de tédio. Parecia que o tempo não passava e o dia de buscar o homi na estação não chegava nunca!

ALÔ!? (Ponte Vecchio ali atrás)
ALÔ!? (Ponte Vecchio ali atrás)

Dia 26, lá pelas 15hrs fui buscá-lo. Fiquei uma hora esperando, porque ele é cabeçudo e não seguiu minhas instruções quando chegou em Roma Termini, acabou demorando uma hora e meia pra comprar a passagem dele pra Florença.
Comecei a achar que ele já tivesse saído da estação e aí ele desceu do trem das 16:01. Tsc <3

Tava muito, muito, muito calor. Fazia tranquilamente uns 39 graus, e com essa temperatura a vontade de sair para desbravar Florença era zero. Então nós resolvemos ficar dentro do apartamento até a temperatura abaixar um pouco, o que provavelmente levou a tarde inteira e uma parte da noite (já que na maioria das vezes fazia 29 graus às 21 horas).
Quando era seguro sair de casa sem derreter, nos arrumamos e fomos jantar no Il Gatto e la Volpe.
Acho que pedi um gnocchi aos quatro queijos e o homi pediu spaghetti à bolognesa. Ele ficou perdidamente apaixonado pelo molho, ficou comparando com todos os outros molhos que ele experimentou enquanto esteve lá!
Demos umas voltinhas pela cidade aproveitando o restinho de noite e voltamos pro apartamento.

No Giardino...
No Giardino…

No dia seguinte a temperatura continuava muito alta, mas não dava mais pra evitá-la, ele não ficaria lá pra sempre (infelizmente) e precisava conhecer FLR.
Fomos em praticamente todas as piazzas mais conhecidas: na Piazza della Signoria, Piazza del Duomo, Piazza della Reppubblica, Pizza Santo Spirito e etc.
Aproveitamos também para conhecer o Giardino di Boboli, que eu ainda não tinha ido e depois levei-o para provar um gelato na melhor gelateria de Florença Gelateria dei Neri.

Acho que tínhamos comido um panino durante a tarde, então só ficamos com fome mais tarde da noite, saímos meio atrasados para procurar um lugar para comer e encontramos todos os lugares bons já fechando.
Nossa única opção foi comer um pedaço de pizza nas lanchonetes (?)  que ficam abertas até mais tarde, mas que na minha opinião, não são muito boas.

 

Dia 28 eu apresentei pra ele a Edoardo’s (me deu uma saudade agora!) e acho que tomamos o gelato enquanto voltávamos pro apartamento, porque turistar todo dia naquele calor não dava certo.
Mais uma vez esperamos escurecer pra sair e dessa vez conseguimos chegar à tempo para jantar em uma Osteria ótima que tem perto da Piazzale Michelangelo. Uma que fui com a Angie uma vez (ah, sdds Angie <3).
Jantamos ma-ra-vi-lho-sa-men-te bem, pedimos um carneiro com molho de iogurte e hortelã que estava incrível! Até me fez esquecer a pizza ruim que eu tinha jantado no dia anterior.
Terminado o jantar, subimos vários degraus até chegar na Piazzale Michelangelo, que estava bem cheia. Sentamos nas muretas e ficamos por lá observando a cidade. Demos também umas voltas por ali, acabei descobrindo uma balada/bar/lounge muuuito legal ali do lado. Fiz vários planos de ir, mas nunca fui.

No dia 29 eu precisava ir para a escola, larguei um homi capotado num quarto semi-fresquinho e sai para enfrentar o calor (oito da manhã e 30 graus, ô sinhô…).
Não lembro muito bem o que fizemos durante a tarde, provavelmente nos escondemos do calor de novo, e de noite andamos até a Via Faenza para jantar uma pizza.
Não demos muita sorte, não foi a pizza mais espetacular que já havíamos provado, mas deu pro gasto. De sobremesa optamos por um brownie delicioso no Hard Rock, acompanhado por um smoothie de banana com abacaxi e gotas de amor, porque aquilo lá… Só por Deus.
Voltamos para o apartamento e dormimos cedo, porque o dia seguinte era aniversário do homi, e compramos passagens para sair de FLR bem cedo e para passar o dia em…

VENEZA! 
Adoraria contar tudo aqui, mas acho que esse dia+essa cidade merecem um post individual, com várias fotos e suspiros de saudade.
Portanto, passemos para o dia seguinte:

Ah dia 1. Eu já tinha passado em frente à esse lugar infinitas vezes, muitas delas tinha uma fila enorme do lado de fora, mas nunca me interessei em entrar. Um dia a Valentina ficou horrorizada por saber que eu ainda não tinha ido lá, então eu e o homi decidimos conhecer o All’Antico Vinaio (ou como a gente apelidou “O Super Panino”).
É uma paninoteca pequena, tem um balcão e algumas cadeiras pra sentar, comer e sair. Tem presuntos pendurados no teto e as paredes são forradas de reportagens sobre o lugar.

IMG_4852Gente… Ali eu comi o melhor panino de toda a minha vida.
Primeiro que de cara eu já adorei o atendimento. Adoro quando a pessoa sabe vender e me dá sugestões.
Eu pedi um panino com presunto de Parma, mozzarella de búfala, tomate e manjericão, o moço olhou pra mim e falou “o mais triste de todos…” Eu discordei meio na dúvida, e ele me perguntou se ele poderia incrementar com creme de trufas e berinjelas. QUEM SOU EU para dizer que não?
O homi pediu um com mortadela, pecorino e creme de tomate seco.
Paninos prontos (na hora mesmo, no estilo Subway mas jamais será um Subway), o moço que estava nos atendendo perguntou se gostaríamos de vinho, eu disse que não e ele me olhou desconfiado, perguntando se eu tinha certeza. Novamente: QUEM SOU EU para dizer que não queria vinho?
Pedi para que ele me recomendasse um, ele escolheu e me deu um pouco para degustar. Era doce, forte, fechei naquele.
Comemos sentadinhos ali dentro e eu fiquei bêbada no fim da primeira e única taça de vinho (sorry not sorry).
Uma informação importante: cada panino custa 5 EUROS, SOMENTE 5 EUROS! Pelo tamanho, a deliciosidade e a qualidade, valeria tranquilamente uns 50 euros (mas tô muito feliz com 5, obg).
De noite fomos até o Gusta Pizza e com certa dificuldade eu comi minha pizza margherita (o panino sustenta, viu?).
Acho que nesse dia, depois da janta, nós passamos na Ponte Vecchio e ficamos sentados por lá conversandinho um pouco.

IMG_4858
Talvez bêbada, talvez feliz. Talvez bêbada e feliz.

No dia seguinte o homi foi embora cedo, lá pro meio dia… Fiquei na plataforma, do lado da janela dele, esperando o trem dele sair. O coração tava bem apertado. Essa história de despedidas e reencontros não é fácil não…
Mas enfim, esses foram os relatos da estadia do homi em FLR. (:
Não vou deixar esse blog abandonado mais, é que depois de alguns acontecimentos ruins no final da minha estadia na Itália, acabei perdendo um pouquinho a vontade de escrever a respeito. Mas acho que já superei o trauma!

Baci! ;)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s