2015

Amsterdam e Muito Amor Envolvido <3

Olá abigos!
Essa viagem para Amsterdam não foi exatamente uma missão turística, foi mais uma missão para rever meu homi e ficar junto dele o máximo de tempo possível. Depois de quatro meses esperando, ele finalmente chegou na Europa. Desde sempre os planos dele eram ir para Amsterdam, e no primeiro final de semana depois da sua chegada, eu juntei minhas coisinhas e fui pra lá matar toda a saudade.

Acordei bem cedo e peguei o primeiro trem para Roma, às 6:50 da manhã. Cheguei na estação Roma Termini uma hora e meia depois, e de lá eu peguei um ônibus da Terravision até o aeroporto Fiumicino, mais ou menos uma hora de viagem.
Meu vôo sairia 12:15, mas contando com percurso de trem/ônibus e possíveis atrasados porque estamos na Itália, eu chegaria bem em cima da hora.
Cheguei no aeroporto, conferi meu vôo no painel, e como já tinha feito o check-in online, ia direto para a sala de embarque, mas por algum motivo, antes de entrar resolvi perguntar no balcão da minha companhia qual era o meu portão. Passei o número do vôo pra moça e ela me respondeu com um lindo: “Madame, o seu vôo foi cancelado“.

Uma foto dessa cidade linda para amenizar a negatividade do começo desse post.
Uma foto dessa cidade linda para amenizar a negatividade do começo desse post.

…ALÔ!? Nunca tinha passado por isso, fiquei meio desnorteada, o que eu faria agora? A moça me apontou um balcão de informações, onde o pessoal da companhia me ajudaria a resolver minha situação. A fila estava pequena, mas puta que pariu, como tem gente que enrola! Tive que esperar uns quarenta minutos pra ser atendida.
Meu humor não estava dos melhores, mas eu não sei ser mal educada nessas situações. Expliquei pra atendente o que aconteceu e ela me disse que eu tinha duas opções: 1) Pegar o próximo vôo deles para Amsterdã 2) Pedir reembolso e comprar outra passagem por conta própria.
Perguntei quando seria o próximo vôo e ela me disse que seria Domingo :) No mesmo dia que eu teria que voltar :), agradeci, pedi as informações pra solicitar o reembolso fui checar o Skyscanner pra ver se alguma outra companhia teria um vôo para aquele dia.
Por sorte, a Vueling tinha um vôo para às 17:45 (não era nem meio dia, mas qual outra opção eu tinha? Nenhuma). Fui para o balcão deles e quase chorei ao ter que desembolsar 158 euros com uma passagem só de ida. Eu tinha pagado 170 euros pra ir e voltar com a EasyJet, não estava extremamente barato, mas 158 de uma vez só? Outch.
Outra coisa que me preocupou também era a quantidade de dinheiro no meu cartão, eu tinha por volta de uns 200 euros, lindamente contados para passar o final de semana fora e para dar umas voltas quando eu voltasse pra FLR. Depois da nova passagem eu não fazia a mínima ideia de quanto eu tinha e também não conseguia verificar minha conta pelo celular.
Pedi ajuda pro meu pai, depois de mandar várias mensagens e ligar umas cinco vezes, ele atendeu (eram 6-7 da manhã no Brasil, tadinho ): ). Aí tive mais um problema, porque a empresa que faz a recarga do meu cartão não funciona aos finais de semana, então todas as vezes que a recarga é feita numa Sexta-feira, geralmente o dinheiro só cai na Segunda. Supliquei pra moça da minha agência convencê-los a fazer algo em relação à isso, que era urgente e tal, porque imagina se pra voltar de Amsterdã acontecesse a mesma coisa? Eu não teria dinheiro pra comprar passagem de volta, nem passagem de trem, nem passagem de ônibus etc e tal.
Vocês não sabem como eu sou desesperada e ansiosa, então toda essa bagunça quase me fez sentar num canto do aeroporto e chorar, MAS… Resisti e só fiquei xingando a Itália para quem quisesse ouvir mesmo.

Outra foto para amenizar a negatividade e sofrência do post.
Outra foto para amenizar a negatividade e sofrência do post.

Depois de todo o sufoco, o que fazer? Sentar e ficar esperar por umas oito horas até o check-in abrir e até a hora do embarque que, claro, atrasou uma hora. Vale lembrar que eu tinha levantado às 5 da manhã e estava um caco. Quando eu entrei no avião (peguei janelinha!) eu dormi quase que na hora, o que foi ótimo porque fez o vôo passar muito mais rápido e eu não aguentava mais esperar pra ver o homi!

Aterrissei no aeroporto Schiphol às 20:20 da noite, peguei minha malinha de mão e segui o fluxo para fora da sala de desembarque, onde um homi lindo estava me esperando, olhando para o lado oposto de onde eu estava. Tentei passar despercebida e ir pro lado dele, mas ele me viu antes e tirou das costas um buquê de gérberas (minhas flores favoritas)! Acho que o abraço que se seguiu foi um dos melhores abraços que eu já compartilhei em toda a minha vida! É muito amor e muita saudade, gente… <3

Do aeroporto fomos direto para o apartamento que eu tinha alugado pelo AirBnB (que é VI-DA, eu amo esse negócio), foi super fácil e rápido de chegar. O apartamento era uma gracinha, suuuper aconchegante e bem decorado! Daqueles que você não quer ir embora nunca mais sabe? Pois é.

IMG_4405_2
Meu homi sendo lindo <3

O homi, lindo como ele é, arrumou a mesa com as frutas que eu mais gosto, frios, pão, vinho, suco e na mesinha de centro da sala deixou vários presentes! Além do carregamento de paçoquinhas que a minha mãe mandou por ele, tinha também um livro INCRÍVEL de culinária francesa, todo escrito em francês e italiano, um porta velas com o meu nome escrito e uma sacola cheia de produtos de lavanda (sabonetes, cremes, bath bomb…). Escorreu uma lagriminha. Como eu já disse, é muito amor, gente.

No dia seguinte passamos na casa da mãe dele e fomos desbravar Amsterdam no curto tempo que tínhamos. Passeamos um pouco pelo Vondelpark. Um parque lindo que eu adorei. Muito verde, pontes, lagos, algumas fontes e patos, patos em todos os lugares.
Achei legal que as pessoas se reúnem por ali, juntam várias toalhas uma do lado da outra na grama e fazem um picnic, ou simplesmente passam o tempo relaxando à beira do lago. Paramos debaixo de uma árvore em frente a um lago e ficamos por ali um tempo, planejando o que faríamos no resto do dia.
Do Voldenpark caminhamos até a Museumplein, onde além de museus (ah vá), tem aquele letreiro escrito I AMSTERDAM. Não conseguimos tirar uma foto legal porque tinha muita gente por lá, escalando as letras de tudo o mais. Tivemos a brilhante ideia de tirar uma foto atrás do letreiro e depois inverter no computador HAHAHAHA!

Dá pra ver legal, sim.
Pouca gente.

Depois da Museumplein andamos meio sem rumo em direção ao centro, no caminho eu vi a coisa mais esquisita do mundo: Um mictório público ABERTO! Era uma construção circular, com um mictório de cada lado, sem nenhuma porta ou tela na frente, os caras iam até lá na maior naturalidade, abaixavam a calça e pronto. Só que isso era no meio de uma praça! Não era nem um lugar escondidinho, sabe? Fiquei chocada!

Passamos por um canal de onde saíam algumas excursões de barco, resolvemos ser turistas nível máximo e pegamos o passeio das 18:30, que sairia em alguns minutos. A maioria dos assentos já estavam ocupados, dividimos uma mesa com um casal, eu fiquei na janelinha (óbvio) e o homi ficou do meu lado.

Eu e o homi no passeio pelo canal <3
Eu e o homi no passeio pelo canal <3

Em cada mesa tinha um audio-guia, era só a gente pegar um fone, selecionar a frequência desejada e ouvir as instruções, que eram ativadas em pontos específicos do passeio. O nosso áudio era em português do Brasil, o que foi um alívio porque se não a gente ia ficar rindo do jeito engraçadinho que os portugueses falam.
Foi um passeio incrível que durou uma hora e quinze minutos, eu adorei o percurso e as explicações sobre as casas e cada bairro.
O mais legal era ver as casas-barco, casas flutuantes que ficam nas bordas dos canais. E não são pequenas não, são casas enormes! Muitas com jardim (!) ou mais de um andar (!!), além de serem muito bonitas. Um dia vou procurar uma no AirBnB para me hospedar por uns dias…

Depois do passeio de barco, voltamos a caminhar (tava fazendo um frio essa hora, gentem). Aleatoriamente descobrimos que estávamos no Red Light District. E quando vimos um Museu da Maconha atrás do outro, imaginamos que estávamos perto e confirmamos quando vimos placas do tipo: “PORN SHOW LIVE” além de vários Sex Shops, casas de strip (ou casas de sabe-se lá mais o que) e claro… As famosas meninas nas janelas.
É proibido tirar foto delas, tem até um aviso no vidro das janelas então eu preferi não tirar foto de nada por ali, vai que eu arrumava algum problema, sei-lá, preferi nem arriscar.
Era de noite, mas como é primavera/verão aqui na Europa, só escurece por volta das 22 horas, então acredito que o bairro ainda não estivesse fervendo, apesar de ter bastante gente circulando, e por “gente” eu incluo famílias com crianças, velhinhos e tudo o mais. É um lugar muito interessante, quero voltar em horários diferentes pra ver a iluminação e a agitação, quem sabe até um show, não é mesmo? (Sim, estou falando sério).

No caminho de volta para o apto paramos para jantar num restaurante/bar, pedimos hambúguer, mas depois ficamos com vontade das costelas infinitas. Costelas infinitas (eu que chamei assim) são costelas de porco servidas com batata frita e salada, você paga um preço fixo (uns 11,95 euros!) e come até não aguentar mais! Pelo que eu vi vários lugares ali onde estávamos tem esse esquema. Mas… Tivemos que deixar para uma outra vez.

Eu e o homi no quintal da nossa casa (infelizmente é mentira).
Eu e o homi no quintal da nossa casa (infelizmente é mentira).

No Domingo não deu tempo de fazer nada, meu vôo saia 15:15, acordamos tarde, arrumamos o apartamento e logo fomos para o aeroporto. QUASE perdi o vôo, saímos correndo que nem doidos pelo aeroporto e nem tive tempo de me despedir direito do homi, nem da mãe dele! A minha sorte foi que o vôo estava atrasado uma hora, porque era um vôo para a Itália então tive tempo de recuperar o fôlego, comer uma paçoquinha e embarcar tranquila de volta para Roma.

Eu não chorei quando cheguei em Amsterdam, mas na volta me bateu uma tristeza dentro do avião… O final de semana tinha passado tão rápido, mas tinha sido tão bom! Passar esse tempo com o homi depois de quase cinco meses separados e passear pelas ruas de Amsterdã igual a todas as vezes que tínhamos imaginado foi incrível demais, cheio de amô, cheio de saudade. É muito bom sentir o coração tranquilo outra vez pelo simples fato de ter a pessoa que a gente gosta por perto :)
Vou finalizar por aqui, porque esse post já tá ficando com muito mel! ;P

Baci, amici!

Anúncios

2 comentários em “Amsterdam e Muito Amor Envolvido <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s